sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Dois Mil e Onze

Dois mil e onze, chega ao final

Para alguns foi só felicidade
Outros, não querem nada igual
Apenas esquecer alguma fatalidade.

Novamente se renova as esperanças
Desejos de saúde, paz e amor
Sonhar com as mudanças
E brindar o novo ano com fervor.

E aquela dúvida, o que vestir?
Que simpatia fazer, onde ir?
Em casa, montanha, praia ou velejo,

Ah! Tantas dúvidas, tanta incerteza,
Na virada do ano, ri ou chora de tristeza
Na realidade, somente ser feliz é o desejo.

Iracema Patrício

Feliz 2012 para você e sua família...
 

sábado, 17 de dezembro de 2011

Sublime Saudade

Você que vive no meu sonhar
Quero fazer de você minha sublime saudade
Caminhar com você no passado que nunca vivi
E fazer do presente um sonho futuro
E viver desse sonho que é lindo e puro...

Você que alimenta o meu viver,
Transforma minha vida em um doce sonhar
Só quero versos fazer e sonhar com você
Nem sei se existe? Nem sei explicar...
Que saudade é essa, que vem me encontrar.

Quero encontrar um motivo, uma razão
Para continuar sonhando o meu coração
Deve ter uma resposta, uma explicação
Quero fazer desse sonho uma realidade
E não apenas mais uma saudade.

Iracema Patrício


--

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Quero voar

Quero voar no mais alto do meu sonhar!
Esquecer na terra tudo o que me faz chorar
No meu sonhar, encontrar nas estrelas e na lua
A beleza de uma alma que ora flutua.

Quero nessa brincadeira sentir alegria
A mesma que me foi roubada um dia
E sentir que não falhei, que nada foi em vão
Foi grande o amor, foi grande a afeição.

Quero fugir dessa dor, dessa desatenção
Esquecer as mágoas e no infinito me encantar
Esquecer a dor que me fere o coração...

Ah!Essa alma sensível que é diferente
Que sonha acordada e não quer mais voltar
Que teima em fugir e voar do presente.

Iracema Patrício

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Um problema

Uma notificação para investigar
Elaborar estratégias prá trabalhar
Definir o caso é a questão
Se foi um surto ou não...

Definir o problema é um dilema
Não é fácil, não pode fugir do tema
A epidemiologia descritiva vai responder
As causas possíveis prá você...

Passo a passo vai resolver
Entrevistar um a um para saber
Que exposição os fez adoecer
Os saudáveis pesquisar o por quê?


São tantas variáveis pra estudar
Colocar em gráficos e tabular
Dificuldades e limitações acontecerão
Faz parte do trabalho da investigação.

No final, a população saberá,
Nas recomendações  vai compreender
Que medidas  poderá adotar 
Para ter saúde e não mais adoecer.

Iracema Patrício
 08/12/2011



domingo, 4 de dezembro de 2011

Tempo de Sonhar

Quisera saber o que sei agora
No tempo de sonhar,
Quisera saber a hora
Se era hora de parar.

Sonhei tanto, que perdi o tempo
Sonhando em acreditar
E os sonhos se foram ao vento
Voaram prá não mais voltar.

Hoje, Tempo de sonhar jamais
Passou, ficou prá traz
Sonho é tão fugaz!
Vivo o momento e nada mais.

Iracema Patrício

sábado, 3 de dezembro de 2011

Quero um Canto

Quero um canto azul da cor do mar
Com muitos peixes a me rodear
E uma lua prá admirar...

Quero um canto assim
Macio como cetim
Com sonhos e poesias só prá mim...

Quero um canto de meditação
Somente o silêncio e minha emoção
Com muita paz no coração...

Quero um canto prá refletir
A vida, o sonho a me conduzir
E a realidade do meu existir.

Iracema Patrício

domingo, 27 de novembro de 2011

Infinito Sonhar

Quero encantar você com meu poema
Fazê-lo sonhar e pensar em mim
Fazê-lo sentir que meu amor vale a pena
Quer nossa história não pode terminar assim.

No encantamento do meu versejar,
Fazê-lo sentir o compasso do meu coração
Que bate nesse momento para festejar
O sublime encontro de nossa emoção.

Quero enfim viver esse dia de fantasia
Viver um dia como se fosse infinito
Sentir em você toda poesia!

Entre o sonho e a realidade, nada mais há
Somente Eu, Você e esse sonho bonito
E o infinito milagre do amar.

Iracema Patrício
Nossa História

Da nossa história restou o adeus
Ainda trago na memória aquele dia
Meus lábios despedindo-se dos seus
Minh'alma na tristeza e melancolia.

Resta ainda a saudade e a esperança
De transformar essa dor, essa agonia
Trago sempre na mente sua lembrança
Era minha realidade e fantasia.

O que foi feito do nosso amor?
O coração chora e reclama de dor
Onde está? Por que mudou?

Quero-o, não me deixe sozinha...
Meu coração precisa da sua companhia
Sua alma é minha só minha.

Iracema Patricio

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Solidão 2

Hoje a solidão está presente...
Sozinha e triste estou!
Meu eu foi tudo que restou
E um sorriso para encobrir a dor.

Ainda restou o sorrir,
Refúgio para maquiar a alma
Fugir da dor e prosseguir
Buscar o conforto e a calma.

Em minha volta, somente solidão,
Procuro refúgio em meu coração...
Como uma criança preciso de amparo.

Olho em volta e tento esquecer,
Preciso de ilusão e me fortalecer.
Outro dia virá, será mais claro!
 
Saudades

Hoje, senti saudades daquelas crianças
Tinha em meus braços toda esperança
A casa cheia de carinho e afago
E agora? Somente saudades eu trago.

Hoje, procuro e não mais encontro
onde estão os pequenos, cadê o encanto?
A casa em silêncio, só o meu pranto...
Procuro cada um, em cada canto.


Hoje, todos os momentos são passados
O meu carinho já é demais
Minhas palavras já não atrai
Nada que eu faça satisfaz.

Hoje, penso no tempo que passou
Foi tão rápido, foi tanto amor
Doei de mim todos meus momentos
Hoje, somente lembranças e pensamentos.

Iracema Patrício

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Silêncio

Silêncio, não acorde esse amor
Deixe-o sonhar, deixe-o flutuar
São apenas sonhos e fantasia
Um refúgio prá trazer alegria
Um céu prá se encantar...

Silêncio, não acorde esse amor
Não grite, ande de mansinho
Ele repousa no seu ninho
Faça do silêncio seu caminhar.
Seja delicado como um passarinho...

Iracema Patrício
Pensamento

Quando a noite chega, meu pensamento flui para você
Do dia que o encontrei e de você me encantei
No silêncio desse momento apenas eu e a saudade
E os meus versos prá lhe dizer minha verdade.

Nos versos simples de solidão que escrevo agora
Tem meu sentimento e a paixão que em mim mora
Tem meus sonhos que escrevo no papel
Prá dizer que não abandones esse amor ao léu.

Amo-te de dia, amo-te de noite, sua presença toda hora
Faz meu sonho maior, minha poesia...
A espera que o sonho se realize sem demora.

Se é loucura não sei dizer, não sei explicar.
Minh’alma se alimenta desse sonho, dessa alegria...
Quer viver esse amor e somente a sonhar.

Iracema Patrício

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Apelo

Sinto um certo romantismo no ar
e esta saudade que teima em ficar
o mar azul confunde-se com firmamento
penso em você a cada momento.

Vem acalmar meu coração
minha alma insiste em lhe chamar
não quero mais viver na solidão
vem, não quero mais chorar.

vem, deixa a emoção nos guiar
vem matar os meus anseios
vem sem medos e receios.

Vem, escute o meu apelo
vem deixar minha alma serena,
quero sentir que a vida vale a pena.

Iracema Patrício

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Mares de Sonhos

Em mares de sonhos eu naveguei
Meu sonho maior foi sua poesia
De tanto sonhar eu acreditei
Que você chegaria um dia!

Atravessei rios e oceanos no meu sonhar
Hoje choro em silêncio, já não tenho mais
Ondas mansas e calmas prá me acalentar
Meu navegar a deriva não encontrou o cais.

Pela estrada do ardor que trafeguei
O tempo é infinito, ainda há momento
De chegar o dia que sempre sonhei.

O coração se ilude e me faz acreditar
Que de onda em onda eu terei um alento
Que quem eu amo é louco prá me amar.

Iracema Patrício

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Últimos Versos

O seu silêncio me fez entender,
Não posso mais ficar na ilusão,
Não existe amor, não existe paixão.
Foi tudo um sonho! Eu sonhei com você.

Todo amor que me acalentou...
Toda poesia que lhe dediquei
Foi tudo um sonho que eu imaginei
E agora a esperança! Até ela acabou...

Estes são os últimos versos que faço prá você...
Onde está você que não quis me amar?
Estes versos tristes são prá lhe dizer...

Que dias e dias eu esperei este amor
Foi tão grande, que nem sei explicar,
Restou estes versos que estou a compor...

Iracema Patrício

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

REENCONTRO COM A SAUDADE

A saudade vem de mansinho me visitar,
Entra sem pedir licença nem permissão,
Vem inundar meu coração
Fico aqui pensando e a relembrar.

Como em um filme de rara beleza,
Cada cenário uma cor!
Desenhada com muito amor,
Uma mistura de sonho e surpresa.

Tem choro e alegria!
Tem chegada e despedida.
Emoções em demasia.

Vem saudade, reencontrar a emoção,
Fica mais um pouco, dê-me guarida,
Vem massagear meu coração.

Iracema Patrício

domingo, 30 de outubro de 2011

Calmaria

Domingo de muita calmaria,
nem barulho, nem ventania,
somente a brisa leve de agosto
 que teima em acariciar meu rosto.

Na luta do vento e pensamento
paro, penso um momento
no amor infinito que findou assim,
restando a solidão em mim...

Como testemunha do meu pranto
somente o ceu e o firmamento
no rosto o vento como acalanto.

Os versos tristes que escrevo agora
ajudam a esquecer o amor de outrora
e vencer a solidão que em minha vida mora.

Iracema Patrício

domingo, 23 de outubro de 2011

BEIRA-MAR

O mar azul,
se confunde com o infinito
a brisa da tarde
 percorre meu corpo,
rostos passando...
A energia dos encontros,
os cheiros da tarde,
da maresia, do mar,
da pipoca, do milho cozido,
tapioca, acarajé...

Corpos suados,
em busca da perfeição
neste turbilhão,
mil pensamentos;
vidas, sonhos,
chegadas, partidas,
encontros, desencontros.
Seguir na caminhada,
sentir e viver como é bonito,
os encantos do verão.

Iracema Patricio

sábado, 22 de outubro de 2011

Quando Eu Morrer

Quando eu morrer, vista-me como eu sempre quiz,
Me enfeite de colorido como sempre fiz,
Me deixe ir, não chore, irei feliz,
Do perfume quero as fragrâncias sutis.

Quando eu morrer quero cantores,
Quero a melodia suave dos amores,
Traga violinos e tenores.
No meu trajeto muitas flores.

Quero deixar aromas no caminho,
Se um dia lembrar de mim,
Tenha delicadeza de um passarinho.

Quando escurecer e o dia chegar ao fim
Lembre-se! Não estarei sozinho.
Terei as flores que levei para mim.

Iracema Patrício

quinta-feira, 20 de outubro de 2011


MUSA

A musa do poeta é a fantasia!
Um sonho lindo que lhe dá inspiração,
Não importa se de tristeza ou de alegria,
O que importa é passar a emoção.

Apenas um sorriso ou um carinho!
Já basta para preencher seu coração
E a sensibilidade faz seu ninho
O poeta já descreve a sensação.

Pode ser bela ou não ser!
Vem um sentimento que não dá para  conter.
E descreve poemas  para nos encantar.

São doces caricias em cada letra!
Basta um computador ou uma caneta
Embeleza sua musa  e a coloca no altar.

Iracema Patricio

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Doçura

Doçura é um sabor, pode ser um poema também,
Um verso pra falar de alguém, que a todos faz bem,
Que sabe transformar em mel, o amargo de alguém
Doçura, seu nome é amor, é a forma que a mantém.

Doçura é a expressão, o amor que vai mais além,
Silenciar pra não machucar e falar pra acalmar,
Doçura, que vem da alma, do coração e do pensar,
Doçura pode representar o carinho de quem tem.

Doçura é paz ao falar, também meiguice no olhar,
É saber se doar, que é mais uma forma de amar...
Doçura em versos e prosas é doce pra poetar
Deixa a alma serena e entende-se o complexo amar.

Iracema Patrício

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Meu Momento

Hoje, quero ficar sem pensar em nada
Quero somente parar e vê o tempo passar
Quero passar com ele, sem pensar
E nos meus pensamentos me inundar...

Nada, mais nada, eu somente eu!
A brisa do vento ao meu contento,
Quero assim permanecer este momento
Que seja eterno eu e meu pensamento.

Na eternidade do momento...
Sentir com lentidão meu pensamento
E contemplar a imensidão do firmamento.

Escutar a tenra sinfonia do coração.
Que vem suavizar com uma canção.
A solidão do meu momento.

Iracema Patrício

domingo, 16 de outubro de 2011

Sentimento

Sentimento, como explicar?
fico em dúvida para falar
se surge na mente ou no coração,
nem a ciência explica com precisão.

Sentimento, qual a razão?
de trazer tanta emoção.
como explicar com exatidão
o pulsar acelerado de um coração.

Sentimento, qual a ciência?
Para explicar tanta incoerência
Fazer rir ou chorar em uma presença.

Sentimento, qual o segredo?
de fazer do coração um brinquedo
e entrar na vida sem pedir licença.

Iracema Patrício

sábado, 15 de outubro de 2011

Ti Dedico

A ti dedico esta canção
versos, poesia ou refrão
poetisa não sou,
mas vivo de amor...

O amor me completou
sinto que sem ti, não sou!
se sou fico sem amor,
por que ser então?
prefiro viver sem razão,
sem razão, vivo com coração!

Iracema Patricio

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Silêncio

Um dia fui princesa e rainha,
Hoje já nem sei o que sou
Foi um adeus o que restou
Não merecia tanta dor.

Em minha volta só pneumbra
Como uma criança temo o escuro
Um silêncio, uma ausência.
Preciso de sua presença.

A noite vai chegar lá fora
Em minha alma já chegou
Teima em não ir embora
Por que esta dor agora?

Olho em volta e nada vejo
Só despedida e um desejo
De procurar em seus braços
Um refúgio, um último beijo.

Iracema Patrício

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

João Pedro

João Pedro, sua presença é amor,
Um amor incondicional que não tem explicação,
Um amor sem limites que só o coração pode entender.

Em você revivi mais uma vez a emoção de ser mãe.
E através de seus olhos pude reencontrar a felicidade.
A cada sorriso seu, meu coração se encanta.
Em você encontrei um sentimento mais maduro, mais tranqüilo,
Sem a ansiedade e os arroubos da juventude,
Mas com a segurança que a experiência me proporciona,
E com o mesmo sentimento de amor, carinho e proteção.

João Pedro, neste momento especial de sua vida,
Quero desejar-lhe toda a felicidade em sua existência,
Que Deus o abençoe sempre!
Quero dizer-lhe também, que estarei sempre ao seu lado,
Qualquer que seja os caminhos dessa estrada chamada vida.

E quando eu for para você somente uma saudade.
Quero que saiba que encontrei em você a emoção maior,
De olhar em seus olhos e ver um mundo de cores e perspectivas,
E que em cada sorriso seu, meu mundo se enche de alegrias.

Iracema Patrício

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Um Lugar Para Poetizar

Que lugar é este para poetizar?
Ele existe e você vai saber,
É um lugar de trabalho e prazer,
Tem amizade, respeito e lazer.

Em 1961, foi criado para você,
Foi crescendo até se estabelecer
Hoje é respeitado pela sociedade,
Pelo trabalho de alta complexidade.

Como não poetizar este lugar?
Certamente não tem igual no Ceará,
Feliz que tem um perto,
Conhecido com o SUS que deu certo.

Chama-se Laboratório Central
Faz parte de um Sistema Nacional,
Vigilância Epidemiológica, Sanitária e Ambiental
É a Saúde Pública em nível nacional.

Neste lugar para poetizar,
São inúmeros diagnóstico para realizar,
É um trabalho de pesquisador,
Vive-se entre a realidade e o amor.


Iracema Patrício
Amor impossível

Um dia meu destino cruzou o seu
minha estrada particular floresceu
senti um infinido que não sei explicar
era o começo de um novo caminhar.

Eu que vivia só, fui encontrar...
o amor que tanto sonhei veio me despertar
era a primavera em toda estação
o céu, as estrelas, minha vida, só emoção.

Um só sonho, uma só vida, um só coração,
Ah! este amor, uma nova mulher me tornou,
Fez-me feliz, me transformou.

Este amor o destino não aceitou
e de você minha vida separou
tornou-se impossível este amor.

Iracema Patrício
SEGREDO

Se em segredo te contar
todo amor que há na mente
certamente pensará
que enlouqueci de repente.

São segredos de amor
histórias de um sonhador
quantas vezes esquecidas
e novamente revividas.

As promessas de amor
a mente não quer apagar
uma saudade sempre a ficar
a realidade que teima em chegar

Sussurando em teu ouvido
esses sonhos não vividos
ficará uma verdade
e a tristeza da saudade.

  Iracema Patricio

domingo, 9 de outubro de 2011

Caminhante Errante

Houve um tempo que amei
houve um tempo que me doei
hoje, já não sei quem sou
de tanto amor o que restou?

A estrada que imaginei,
os longos caminhos que andei,
caminhante errante agora eu sou...
em busca do sonho que me acalentou.

Se encontrar o que busquei
é o amor que enfim chegará,
serei feliz, é o que idealizei.

Caminhante errante continuarei
se o sonho não realizar.
quem sabe então despertarei.

Iracema Patricio

domingo, 18 de setembro de 2011

POETA

O poeta com as letras gosta de brincar!
Como criança inventar fantasias,
Unir as palavras para rimar,
Fazer dos sonhos sua companhia.

Inspira-se na rotina do dia a dia,
Em seu caminho a descoberta,
Em cada tristeza, em cada alegria
Das emoções nasce uma poesia.

Em qualquer caminho ou direção,
A alma do poeta é só sentimento,
Rima palavras com emoção.

Algumas vezes sente-se ausente,
É difícil entender seu pensamento,
A alma do poeta parece diferente.

Iracema Patrício

Minha arte

Faço das letras a minha arte
Arte  para esquecer a solidão
Solidão que de mim parte
Parte o meu coração.

Iracema Patricio