sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A chuva

A chuva vem de mansinho massagear minha janela,
Tão fina e delicada, eu me perco olhando para ela.
No meu rosto chego a sentir seus pingos,
E imagino o cheiro de mato molhado.

E fico algum tempo ali vendo a chuva correr,
Mil pensamentos a me percorrer,
Minha infância, minhas alegrias e tristezas,
Como se a chuva me trouxesse uma leveza.

O barulho da chuva meus sonhos vem embalar
Lembro daquela criança... Das cantigas de ninar,
Ah! Se eu pudesse voltar.

De repente a chuva para!
Como se a natureza me quisesse retornar
Abre o sol! Aparece um arco-íris de beleza rara.

Iracema Patrício

terça-feira, 5 de outubro de 2010

O Poeta e o Músico

O poeta gosta de com as letras brincar
Assim como o músico de solfejar.
O poeta rima o momento,
O músico põe as notas no instrumento.

O poeta vê beleza para rimar
Mesmo na tristeza há uma magia,
E o músico compõe a melodia,
Para a todos deleitar.

Os dois representam a harmonia
Juntos compõem uma canção,
É mais um encontro afinado
Das notas com a emoção.

Autora: Iracema Patricio
Pétalas no Caminho

Quero jogar pétalas no meu caminho,
Para trás deixar os espinhos,
Quero sentir um aroma suave por onde passar
Essências de rosas e flores para exalar.

No meu caminho quero deixar as cores,
Tão colorido como as pétalas das flores,
Quero sentir o néctar em minha caminhada
Assim, não estarei sozinha na estrada.

Sozinha a caminhada é longa e demorada,
Com as flores estarei acompanhada
E mesmo longa, não me sentirei cansada.

Nos dias que minha alma sentir tristeza,
Terá o colorido das flores prá dá beleza
E o suave aroma da delicadeza.

Autora: Iracema Patrício
A CRIANÇA

A criança cresceu,
nem percebi,
já sabe agir,
já sabe pensar,
já tem vontade própria,
vontade de ir...
vontade de seguir para longe,
e eu?...
eu fiquei,
e tudo se inverteu,
hoje... a criança sou eu.

Autora:Iracema Patricio

domingo, 1 de agosto de 2010

Sonhadora

Não sou poetisa, nem cantora,
não sou artista, sou sonhadora,
de tanto sonhar me perdi
me encontrar não quero jamais
fugir da dor é viver de ilusão,
deixa eu ter então
esta alma sonhadora.

Quero viver a plenitude da imaginação
deixar a realidade ser fulgaz
e fugir dela cada vez mais,
quero fazer da minha vida uma poesia
poder colorir com alegria
toda a vida com paixão
viver esta vida sonhadora
sentir-me como um poetisa
e compor as dores do coração.

(IracemaPatricio)

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Poeminha

É prá você este poeminha
enquanto for sua princesa, sua rainha
pois de você sua vida é minha
junto a você nunca serei sozinha.

o passado ficará prá trás
o futuro será sempre apraz
este poeminha será capaz
de revelar que amor não se desfaz.

Amar intensamente cada dia,
nunca, jamais ter melancolia
sentir no amor a calmaria
é este poeminha que anuncia.

Autora: Iracema Patricio
Luciana

Serias maria,
Maria Ruth, Maria Clara
entre tantas Marias,
a chamei de Luciana
um desejo, um sonho
do seu irmão a realizar
e nesta incerteza...
dei um nome de canção
cantiga singela de ninar,
que fala do seu sorriso,
da beleza dos seus olhos,
dos sonhos que a irão embalar,
maria luciana!
uma poesia para musicar.

Iracema Patrício
28/08/1986
Devaneios

Quero ir...não sei para onde,
quero permanecer...não sei o por que?
se eu ficar...estou fugindo de mim
se eu fôr...estou fugindo de ti,
ficar para que?
ir para onde?
nesses devaneios,
busco em mim o que não encontro em ti
busco em ti o que não encontro em mim.
(Iracema Patricio, 26/11/06)
Desencontros


Sonhos impossíveis,
amores impossíveis...
vidas que jamais se encontrarão,
destinos que se cruzaram,
em tempos...e espaços diferentes.


Iracema Patricio
Fantasia

Em busca da harmonia
vou fazendo poesia
pois isto dá me alegria
fugindo prá fantasia.

No mundo tudo é real
fujo pró virtual
pois tudo é igual
diferente só carnaval.

Os dias vão passando
nos versos vou encontrando
um motivo prá ir caminhando
enquanto vida vou conservando.

E quando o tempo chegar
nos versos vou encontrar
uma razão prá continuar
sem nunca deixar de sonhar.


Iracema Patricio