sábado, 28 de fevereiro de 2015

OUTONO DA VIDA

Existe em mim um outono que teima em chegar
Não quero, não deixo, mas ele vem de mansinho me visitar.
Como as folhas que caem, ele faz metamorfose no coração
E vai levando com o tempo, os sonhos que ainda há pra sonhar.

Existe em mim um outono da vida a desfolhar
Saudades de Momentos, os carrego no peito, vão a vagar
São minhas, tão minhas, seguro para o vento não levar
Passado, presente e futuro se entrelaçam para continuar.

Existe em mim um outono da vida sem permissão
Vai levando a vida, cai, levanta e carrega a emoção
Vida que a vida ainda há de viver a teimar
De sonhos em sonhos viver este outono pra não despertar.

 Iracema Patricio
16/02/2015






quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014


PERDI - ME

Perdi-me no espelho da vida
O rosto de outrora já não vejo mais
Nas fotos uma teimosia em mostrar
Vidas e imagens que teimam em ficar.

Perdi-me no sorriso do tempo
Passaram- se anos e o vento
Foi levando ao encontro do infinito
A alegria de sentir-se bonito.

Perdi-me nas asas dos sonhos
Foram as fantasias do irreal
Que voaram nas tramas do destino
E aterrissaram na busca de um ideal.

Perdi-me no compasso do momento
De um passado refém de um tempo
E na vida a urgência da hora
De viver os sonhos de agora.

Iracema Patrício

sexta-feira, 28 de junho de 2013



HISTÓRIA DE MULHER



Lá vai a mulher carregando sua história
Leva consigo o tempo que não dá perdão
Filhos crescidos...outros mares, outras vitórias
E no peito a saudade faz morada no coração.

Procurar outros sonhos, é mais uma missão
Quem sabe com os netos tentar renascer
E  mais uma vez  sentir a emoção
Do amor de outrora em outro bem querer.

Lá vai a mulher carregando os sabores
Do tempo passado e dos sonhos vindouros
Refazer outra vida e pintar novas cores.
Guardando em silêncio infinitos tesouros.

Iracema Patrício

 

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Meu choro

Ando chorando a toa
A ciência chama depressão
Na minha’alma ecoa
A tristeza do meu coração.

É um choro de mágoa solitário
Minh ‘alma guarda com tristeza
Palavras de um desafeto desnecessário
Que calei com tanta indelicadeza.

Sensível e frágil alma, sou assim!
Os segredos de minha dor
Só o meu travesseiro , sabe de mim!

E o tempo implacável professor
Chorará o meu pranto até o fim
Aliviando uma alma que vive de amor.

Iracema Patrício

TE ESPERO

Fim de tarde eu te espero
Como quem espera um anjo
Para iluminar a minha noite
E acalentar os meu sonhos.

Mas tu não vens!
Sei que não és o culpado
O  motivo não tem explicação
Chora em pranto meu coração.

Culpa, de quem é a culpa?
As pessoas, quem as entenderá?
Em cada íntimo há um mundo de loucura
Pode ser um anjo, demônio e ter candura.

E nesses desencontros de sentimentos
Sofro e me sinto impotente
Nada posso fazer, somente sonhar
E no fim de tarde te esperar.

Iracema Patrício


 
Fiz esse poema para uma pessoa muito especial na minha vida, para um amor incondicional, ele nunca saberá nem entenderá porque estão me afastando dele,  nem eu  mesma não entendo, somente sei que ele representa no momento a pessoinha que me deixa mais  felizzzz na vida, pela sua alegria e amor para comigo...as pessoas são crueis e não querem ver ninguém feliz!!!


domingo, 10 de junho de 2012

De Mim Para Ti

Parto de mim para ti agora

Viagem com sabor de despedida
Apenas um adeus e vou embora
Foste a última esperança em minha vida.

Amor triste amor que agora finda
De sonhos somente não vive o amor
As migalhas que teimam em ficar ainda
O tempo se encarregará de apagar tanta dor.

Os dias que esse sonho acalentei
Percorri caminhos e encontrei
Os encantos do amor que hoje partirá
Como passarinho outro ninho te abrigará.

Parto agora para nunca mais
De mim ouvir falar e de ti jamais
Sentir uma esperança florescer
E como o vento no tempo me perder.


Iracema Patrício

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Sonhos de um Amor

Ficou em mim a saudade

Do beijo que não te dei
Ainda sinto uma suavidade
Ao sonhar com o seu olhar no meu.

De repente me vem a verdade
Dos sonhos que somente eu sonhei
Só eu sei com que intensidade
Dos dias e dias que te esperei.

Nas horas tristes de solidão...
De pranto chora o meu coração
Faço poesia com a ilusão de esquecer
Dos sonhos de um amor que me fez sofrer.

Iracema Patrício