quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Meu choro

Ando chorando a toa
A ciência chama depressão
Na minha’alma ecoa
A tristeza do meu coração.

É um choro de mágoa solitário
Minh ‘alma guarda com tristeza
Palavras de um desafeto desnecessário
Que calei com tanta indelicadeza.

Sensível e frágil alma, sou assim!
Os segredos de minha dor
Só o meu travesseiro , sabe de mim!

E o tempo implacável professor
Chorará o meu pranto até o fim
Aliviando uma alma que vive de amor.

Iracema Patrício

Nenhum comentário:

Postar um comentário