domingo, 31 de julho de 2011


Agonia

Já não o encontro mais na minha poesia...
Procuro seu rosto, seu olhar o seu carinho,
Desfizeram-se os sonhos e fantasias,
Já não sei mais qual o meu caminho.

Perdida na noite de solidão.
O quarto é  grande, vazio e frio!
Não tenho consolo para o coração.
Todos os recantos  são tristes e vazios.

Procuro um sol para me iluminar,
Uma luz  que me faça sonhar.
Somente o silêncio e a melancolia.

Nos seus braços já não tenho abrigo.
Somente a tristeza vem morar comigo.
Preciso de refúgio, fugir dessa agonia!

Iracema Patrício


quinta-feira, 14 de julho de 2011

A Química da Vida

Nos versos e canções,
Vivo a vida em sonetos,
Desvendo quartetos e tercetos,
Dedilhando da vida as emoções.

A química da vida são paixões
De adrenalina precisa o coração
Para bater no compasso firmemente
E seguir seu ritmo intensamente.

O coração é inconseqüente,
Precisa de sentimentos permanente
Sentir em cada segundo uma emoção.

E quando no futuro distante
Felizes lembranças radiante.
Sentir que nada foi em vão.

Autora: Iracema Patrício

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Perder e Encontrar

Quero me perder...
Nos labirintos desta cidade,
Em cada rua, em cada lugar,
Em cada rua procurar você,
Em cada lugar encontrar você,

Quero me perder...
Nas luzes que iluminam esta cidade,
Em cada luz, em cada olhar,
Em cada luz procurar seu olhar
Em cada olhar encontrar você,
Você e eu...
Eu e você...
Perder e se encontrar,
Viver para se amar.

(Iracema Patricio)