sexta-feira, 22 de outubro de 2010

A chuva

A chuva vem de mansinho massagear minha janela,
Tão fina e delicada, eu me perco olhando para ela.
No meu rosto chego a sentir seus pingos,
E imagino o cheiro de mato molhado.

E fico algum tempo ali vendo a chuva correr,
Mil pensamentos a me percorrer,
Minha infância, minhas alegrias e tristezas,
Como se a chuva me trouxesse uma leveza.

O barulho da chuva meus sonhos vem embalar
Lembro daquela criança... Das cantigas de ninar,
Ah! Se eu pudesse voltar.

De repente a chuva para!
Como se a natureza me quisesse retornar
Abre o sol! Aparece um arco-íris de beleza rara.

Iracema Patrício

terça-feira, 5 de outubro de 2010

O Poeta e o Músico

O poeta gosta de com as letras brincar
Assim como o músico de solfejar.
O poeta rima o momento,
O músico põe as notas no instrumento.

O poeta vê beleza para rimar
Mesmo na tristeza há uma magia,
E o músico compõe a melodia,
Para a todos deleitar.

Os dois representam a harmonia
Juntos compõem uma canção,
É mais um encontro afinado
Das notas com a emoção.

Autora: Iracema Patricio
Pétalas no Caminho

Quero jogar pétalas no meu caminho,
Para trás deixar os espinhos,
Quero sentir um aroma suave por onde passar
Essências de rosas e flores para exalar.

No meu caminho quero deixar as cores,
Tão colorido como as pétalas das flores,
Quero sentir o néctar em minha caminhada
Assim, não estarei sozinha na estrada.

Sozinha a caminhada é longa e demorada,
Com as flores estarei acompanhada
E mesmo longa, não me sentirei cansada.

Nos dias que minha alma sentir tristeza,
Terá o colorido das flores prá dá beleza
E o suave aroma da delicadeza.

Autora: Iracema Patrício
A CRIANÇA

A criança cresceu,
nem percebi,
já sabe agir,
já sabe pensar,
já tem vontade própria,
vontade de ir...
vontade de seguir para longe,
e eu?...
eu fiquei,
e tudo se inverteu,
hoje... a criança sou eu.

Autora:Iracema Patricio