sábado, 13 de agosto de 2011


PAI

O nenê nasceu... Sou pai e agora?
Quanta responsabilidade, quanta dedicação!
Tarefa difícil, mas chegou a hora.
Olho seu rostinho, é meu, quanta emoção!

Ele foi crescendo, segurando na minha mão.
Eu, dando-lhe segurança no seu caminhar
Fomos seguindo juntos uma jornada do coração.
Tanto amor não se explica, não dá para falar.

Aprendi a educar, reaprendi a brincar,
Tantos momentos, como o tempo passou!
Aquele nenê, um cidadão se tornou.
Que orgulho! Como recompensa amar.

Neste dia, por tudo que construí,
Me resta agradecer e ser feliz.
Deus deu-me jóias rara de rubi.
Ao pai que sou e ao neto que há de vir.

Iracema Patrício
12/08/2011



Nenhum comentário:

Postar um comentário