domingo, 4 de março de 2012

Nostalgia

Tem certas noites de solidão
Que a nostalgia se apodera de mim
É mais que saudade, fere meu coração
Companhia na madrugada até o fim.

Tem certas noites que não adianta fugir
Em meu pensar as histórias de um tempo
Brigo com ela...que insiste em não ir
Quando chega o dia ela voa com o vento.

Quem me dera à nostalgia
Trouxesse o tempo de verdade
E retornasse com o vento dia a dia.

E Quando quisera passar o tempo
Eu segurasse firme para a realidade
E não mais voasse com o vento.

Iracema Patrício

Nenhum comentário:

Postar um comentário